Revista Claudia

Revista: Claudia 

Editora: Abril
Mês: Outubro/2007
Edição: nº
Sessão: Senhoras da Magia
Por: Liliane Oraggio Cocchiaro

Senhoras da Magia (e seus encantamentos para viver e amar melhor...)

"As bruxas exixtem? A literatura, o cinema e até uma novela nacional garantem que sim. Fomos atrás delas e encontramos mulheres modernas que sabem muito sobre natureza, a saúde e os assuntos do coração e nos inspiram a retomar o poder feminino"

Magia e Amor

Dayne Anglius Dosken é carioca, tem 20 anos, cursa faculdade de história e ganha a vida fazendo artesanato e consertando computadores. Seu nome de bruxa, segundo a tradição wicca – a bruxaria moderna -, significa guardiã das mensagens da floresta. Ela cresceu numa família de mulheres místicas, vendo a mãe preparando chás e poções para trabalhos de cura. Sua bisavó era parteira e curandeira no interior do Rio de Janeiro. Aos 9 anos, Dayne teve sua primeira visão. Como se estivesse sonhando acordada, viu uma amiga ser atropelada. Instantes depois, a cena aconteceu na realidade e Daune chegou a tempo de socorrer a garota. Aos 12 anos, começou a estudar os princípios da bruxaria com base nas antigas práticas pagãs européias; aos 17, foi ordenada sacerdotisa; e atualmente coordena os conteúdos do site Old Religion. Como toda praticante de wicca, ela segue um código de ética, que também vale para os feitiços de amor: “Você pode fazer o que quiser, desde que não prejudique ninguém”.

Na wicca, os sortilégios para conquistar um parceiro são dirigidos à própria mulher – para que ela se sinta mais atraente – e nunca para manipular o outro, pois, se há manipulação, não há amor. Usamos três tipos de encantamento. O glamour consiste numa mentalização – como se você já estivesse vivendo a cena amorosa com a pessoa desejada. Deve-se escolher uma palavra ou uma frase de poder. Por exemplo: “Eu quero a beleza”. Quando encontrar o homem desejado, repita mentalmente para despertar essa energia. Outro recurso é o charme: você usa uma cor ou um perfume que desperte a atenção dele. E, por último, o feitiço, em que todas essas estratégias são aliadas a uma meditação antes de sair para o encontro, enocando forças cósmicas para cospirar a favor. E quando não dá certo? Se não aconteceu, é porque não era o melhor pra mim nem para o outro. A ordem é o seguir em frente, confiante. O que tiver que ser seu será.

Fonte: Matéria fonecida pela equipe Old Religion para Revista Claudia.

Sem comentários

Você deve entrar para comentar.